A homeopatia é uma especialidade médica que visa tratar a saúde física, emocional e mental do indivíduo para, assim, promover uma melhora na sua qualidade de vida.

Reconhecida no Brasil somente em 1980 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a homeopatia se diferencia das demais especialidades porque não trata somente os sintomas ou as doenças, mas sim o paciente.

Por isso, realiza uma análise minuciosa da vida da pessoa, incluindo seus hábitos e histórico familiar, para descobrir a causa-raiz do problema e, assim, propor o melhor medicamento para minimizar suas queixas e devolver o seu equilíbrio corporal, mental e emocional.

Para fins comparativos, no tratamento convencional, se um paciente está com enxaqueca, ele faz o uso de um medicamento e a dor some – mas pode voltar! Uma vez que o medicamento trata a superfície, ou seja, o sintoma.

Na homeopatia, é feita uma investigação das causas e dos gatilhos que levam a esse sintoma.

Assim, o tratamento é direcionado para a origem, de forma a diminuir (ou mesmo bloquear) novas ocorrências.

E quais são os princípios básicos da homeopatia?

Esse campo tem como objetivo reequilibrar a energia vital do paciente e elevar a sua imunidade para que, assim, seja possível obter a cura. Esta, inclusive, tem um significado diferente para os homeopatas.

A cura não representa a ausência de doença, mas sim o restabelecimento da saúde física, emocional e mental – que, quando está em desequilíbrio, leva ao surgimento dos distúrbios.

Existem três princípios que orientam a homeopatia:

  • Lei dos semelhantes: ela afirma que a mesma substância que pode causar enfermidades em uma pessoa saudável, pode, também, promover a cura de quem já está com a doença. É o mesmo sistema das vacinas, no qual o vírus causador do problema é inserido em baixa dosagem no ser humano, a fim de que o corpo desenvolva anticorpos para se tornar capaz de evitá-lo;
  • Experimentação no homem: esse princípio orienta que, para obter as doses adequadas dos medicamentos para promover a cura, é preciso que ele seja testado em pessoas saudáveis;
  • Doses infinitesimais: como a homeopatia preza que a cura deve ocorrer de forma suave, indolor e duradoura, e que o tratamento deve ser menos prejudicial que a própria doença, os medicamentos administrados são diluídos e dinamizados. Com isso, evitam-se os efeitos colaterais e é possível obter melhora no quadro clínico como um todo, ou seja, na saúde física, emocional e mental.

Em suma, é possível procurar a homeopatia para tratar qualquer tipo de problema físico ou emocional. Ela pode ser utilizada como método principal ou coadjuvante, visto que também tem a função de complementar determinados tratamentos.

Mesmo quando não pode curar a doença em si, por ser mais grave ou crônica, essa especialidade ajuda a minimizar seus sintomas e, com isso, melhorar a sua qualidade de vida.

Como não possui efeitos colaterais nem contraindicações, a homeopatia também pode ser recomendada para crianças. Na infância, pode minimizar sintomas como inquietude, agitação, medo e problemas comportamentais, em geral.

Alegria, saudade, tristeza, medo, surpresa são algumas das emoções que vivenciamos todos os dias. E essas emoções não influenciam somente as nossas decisões, elas são capazes de interferir na nossa saúde e bem-estar. As dores emocionais são um exemplo de como as emoções podem influenciar negativamente a nossa saúde.

O organismo é um sistema complexo onde físico e emocional trabalham juntos para manter o corpo funcionando corretamente. Sendo que o estado emocional afeta o corpo, e problemas com a saúde interferem no emocional. Tudo está interconectado!

A dor é um dos mecanismos de alerta para problemas no corpo. O nosso organismo é capaz de nos indicar quando algo está errado. Assim, as dores emocionais são indicativos de que nossas emoções estão afetando o organismo.

Além do tratamento homeopático, precisamos desenvolver estratégias para atingirmos um estado de equilíbrio emocional e físico mais constantes, tais como:

  • Atividades físicas diárias, como musculação, treino funcional, pilates…
  • O que acha de resgatar aquele esporte da infância?
  • Meditação, yoga, tai chi chuan, ajudam na manutenção do nosso sistema parassimpático, tão importante para o equilíbrio emocional e mental.
  • Tenha um hobby, que é simplesmente fazer algo que você gosta e te traz mais equilíbrio na correria do dia a dia
  • Autoconhecimento, através de terapias que estimulem o “olhar para dentro”, a fim de descobrirmos as causas do nosso sofrimento.
  • Ouvir música, dançar, cantar aumentam a produção de endorfinas e outras substâncias, nos dando a sensação de prazer e alegria.
  • Tenha uma alimentação saudável; alimento é informação para o nosso corpo. Qual é a mensagem que você está enviando para o seu?
  • Cuidar da espiritualidade, lembrando que isso não significa ter uma religião. Cultivar o hábito de manter o contato consigo mesmo, refletir sobre a sua vida e buscar a solução para o que não está bom.

Enfim, procurar estratégias que melhor se adequem às suas necessidades e desejos. E isso vem somente a partir do momento em que você se permite olhar para si mesmo!

Por fim, a Homeopatia é uma ferramenta valiosa na busca pelo autoconhecimento; ela nos auxilia e melhora a autopercepção, assim como nos impulsiona no equilíbrio físico, mental e emocional.

Mas, não se preocupe! Ainda vamos falar muito disso por aqui.